O perigo dos transgênicos

Em 2003, havia somente dez estudos que pesquisavam possíveis problemas de saúde relacionados aos transgênicos, sendo que a qualidade de alguns era inadequada. Mais da metade dos estudos foram feitos em colaboração com as companhias detentoras da tecnologia transgênica e neles, obviamente, não foi encontrado nenhum efeito negativo do consumo de transgênicos no organismo.
O único estudo de longo termo(24 meses), foi realizado por pesquisadores italianos e determinou que o consumo de soja transgênica Roundup Ready pode afetar órgãos do organismo, modificando a estrutura e funcionamento de células do fígado, pâncreas e testículos de ratos em laboratório. Outro efeito observado no estudo foi sobre o desenvolvimento do sangue. Os pesquisadores encontraram nas cobaias células vermelhas imaturas e em menor quantidade, além de mudanças na composição química do sangue.
Um estudo australiano publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry, mostra que o consumo de ervilhas geneticamente modificadas produziu reações alérgicas em ratos de laboratório.
Estudos publicados nos periódicos Lancet e Natural Toxins mostram que batatas transgênicas podem causar lesões na parede do intestino de ratos e camundongos. Dois estudos norte-americanos não publicados encomendados pelo FDA mostram que tomates transgênicos podem causar lesões no intestino de ratos.

Fonte: AZEVEDO, E. Alimentos Orgânicos: ampliando conceitos de saúde humana, social e ambiental. Editora Unisul, Tubarão, 2006.